Os seguros de vida resgatáveis estão impulsionando a robustez do planejamento financeiro.

No contexto de proteção familiar em situações imprevistas, os segurados têm a oportunidade de resgatar parte dos valores.

De acordo com uma pesquisa recente realizada pelo Datafolha para a Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), apenas 18 em cada cem brasileiros possuem seguro de vida. Mudanças na estrutura familiar e os riscos pós-pandemia são os principais motivos para contratação. Essa pesquisa evidencia que o Brasil tem muito a avançar em termos de cultura de proteção, especialmente quando comparado a mercados mais desenvolvidos, como os Estados Unidos, onde 52% da população possui cobertura, e o Japão, onde esse índice atinge 90%.

Jorge Nasser, diretor-presidente da Bradesco Vida e Previdência, observa que no Brasil, culturalmente, as pessoas tendem a proteger mais seus bens materiais do que suas vidas. No entanto, eventos recentes, especialmente a crise sanitária, têm reforçado a importância de cuidar não apenas de si, mas também dos entes queridos. Ele destaca que envelhecer bem não diz respeito apenas à quantidade de anos vividos, mas à qualidade desses anos.

Neste cenário, a Bradesco Vida e Previdência ampliou seu catálogo de seguros de vida com dois novos produtos: o Seguro Bradesco para a Vida Inteira e o Viva Mais Bradesco – Seguro Resgatável.

Esses novos produtos combinam as características de um seguro de vida tradicional com a possibilidade de resgatar uma parte do pagamento, introduzindo um aspecto crucial na proteção: o planejamento financeiro e familiar.

Bernardo Castello, diretor da Bradesco Vida e Previdência, destaca que atualmente mais de 50% da carteira do segmento de vida da companhia é composta por seguros resgatáveis, especialmente os individuais. Isso evidencia que os brasileiros reconhecem o valor agregado de um produto que oferece proteção contra imprevistos e benefícios durante a vida.

Além dos lançamentos, a empresa implementou ações direcionadas aos corretores, facilitando o acesso dos profissionais aos produtos de proteção oferecidos aos brasileiros. Castello enfatiza que o investimento em uma ferramenta de cotação de seguros mais intuitiva como único sistema de comercialização de produtos de vida para pessoas físicas e jurídicas tem simplificado o acesso a informações relevantes para que os corretores possam desempenhar sua missão de forma mais eficiente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?